top of page
  • Writer's picturePatricia Lenharo

Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, a pessoa muda

Querido Buscador, como você está?

Essa frase do título é de Freud, o pai da Psicanálise, e cá pra nós, Psicanálise é menina dos meus olhos...

Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo

A Psicanálise nos auxilia em nosso mergulho interno, e como eu abraço a bandeira do autoconhecimento, já viu né!

Sei que nem sempre é fácil encarar as mudanças em nossas vidas. Muitas vezes, nos apegamos ao que já conhecemos e temos os desafios que podem surgir com a mudança.


Mas... Você já parou para refletir sobre o que acontece quando a dor se torna maior que o medo da mudança?

Essa frase pode parecer um pouco dura à primeira vista, mas acredite que ela contém uma grande verdade: muitas vezes, é a dor que nos impulsiona a buscar mudanças em nossas vidas.


Quando algo nos machuca profundamente, nos sentimos motivados a encontrar maneiras de aliviar essa dor e buscar um caminho diferente.


Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo

A dor pode assumir muitas formas: pode ser o fim de relacionamento, uma perda significativa, uma situação de estresse no trabalho, ou qualquer outro tipo de dificuldade. O importante é entender que, mesmo que seja difícil, é possível transformar essa dor em uma força motivada para a transformação.



Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo

Não estou dizendo que devemos buscar a dor de propósito ou que ela seja algo positivo em si mesma. Pelo contrário, a dor é um sinal de que algo não está funcionando bem em nossa vida. Mas acredito que, quando somos capazes de enfrentar essa dor de frente e buscar a mudança necessária, podemos nos tornar mais fortes e conscientes de nossos talentos.

A mudança pode ser assustadora, mas também pode ser uma oportunidade de crescimento e aprendizado.


Quando estamos dispostos a sair da “zona de conforto” e buscar algo novo, podemos descobrir habilidades e capacidades que nem sabíamos que tínhamos.

Por isso, convido você a olhar para as dificuldades em sua vida não como um fim em si mesmas, mas como um convite para a mudança.


Quando a dor for maior que o medo da mudança, não tenha medo de dar o primeiro passo em direção a um novo caminho.

Lembre-se de que você é capaz de superar as dificuldades e de construir uma vida mais plena e satisfatória.

Espero que essas palavras possam te ajudar a entender a importância da dor como um impulsionador para a mudança.


Lembre-se de que, mesmo nos momentos mais difíceis, você não está sozinha e sempre há uma possibilidade de recomeçar.


Um abraço quentinho e até a próxima...

Patrícia Lenharo.




Recent Posts

See All
bottom of page